Que o povo brasileiro é um povo empreendedor ninguém questiona, contudo, também é fato que a mortalidade de empresas no país é muito alta, e isso se deve principalmente a falta de preparo dos empreendedores, que na maioria das vezes são ótimos técnicos, mas não tão bons administradores.

Ponto importante para o crescimento na vontade de ser empreendedor também está nas facilidades que o governo brasileiro vem oferecendo, como é o caso da ampliação do Simples nacional para vários setores, que possibilita que milhares de empreendedores paguem menos impostos e de maneira mais simples.

“Se por um lado o empreendedorismo está em alta, também há o problema do fechamento rápido das empresas, já que as pessoas não possuem  todas as características empreendedoras, apenas conhecendo o produto ou serviço que querem ofertar. Porém, mesmo para estes casos, é possível o aperfeiçoamento e ter uma empresa de sucesso”, conta o engenheiro, Ricardo Barbosa.

Veja algumas dicas que Ricardo Barbosa preparou para quem deseja desenvolver nesse ramo tornando assim um empresário qualificado para o mercado:

  • Iniciativa e pró-atividade – Em qualquer empresa, ter iniciativa e pró-atividade dará destaque, mostra que se é engajado e quer crescer. O empreendedor, por sua vez, não se preocupará apenas com os demais funcionários, mas com todos os concorrentes que existem no setor de atuação, portanto, agir é imprescindível para fazer os resultados aparecerem;
  • Autoconfiança – O profissional que quer ter seu empreendimento precisa confiar em si mesmo para tomar decisões, arriscar e buscar novas formas de solucionar um problema que envolve vários setores.
  • Análise e Planejamento – É importante analisar os concorrentes, a economia, os setores externos que há ligação com a sua empresa, para saber os riscos e as estratégias mais eficazes. Dessa forma é possível antecipar ações e não apenas apagar incêndios.
  • Conexões e Criatividade – O empreendedor deve estar atento às inovações e mudanças do mundo, e saber aplicar essas inovações ao cotidiano da empresa e ao seu campo de atuação podem levar a um retorno imediato.
  • Controle – O empreendedor não pode esquecer que ele está no comando, e que é possível e aceitável delegar as funções, mas não é adequado entregar todo o processo nas mãos da equipe, por mais competente e confiável que ela seja. Portanto esteja na frente, crie métodos que possibilite a visibilidade de todos os projetos em andamento, com o bom e velho relatório.
  • Liderança – Ser líder não é a tarefa mais fácil de todas, porém é importantíssimo que o empreendedor saiba liderar com eficácia, planejar, dividir as funções, reunir e organizar as ações, entre outras atividades que o líder precisa ter para que a equipe esteja, sobretudo, motivada e segura por trabalhar com você.
  • Persistência e Otimismo – Em várias fases a empresa poderá passar por dificuldades, falta de clientes, crise externa e interna, mas o que fará com que o barco não afunde é o otimismo e a persistência atrelada com o jogo de cintura para driblar os problemas. Nesta hora é preciso ter em mente o seu potencial e suas habilidades e a partir daí iniciar o plano de ação e conquistar seus objetivos.
  • Aprendizagem Continuada – O bom profissional, sendo ele empreendedor ou não, busca se capacitar, portanto se não possuir algumas das características citadas, aprenda e se especialize para então desenvolvê-las e aprimorá-las com o conhecimento adquirido.

Fonte: Folha do Estado